Saúde Preventiva e Integrativa

Só haverá uma medicina verdadeiramente holística quando os médicos vierem a adquirir uma melhor compreensão a respeito dos profundos inter-relacionamentos entre o corpo, a mente e o espírito (…).” – Richard Gerber.

Saúde, essa palavrinha de 5 letras que pode ser representativa de tanta alegria e felicidade, e à qual tantas vezes só damos valor quando nos vemos em situação de dor, lesão ou doença.

A Saúde é muito mais do que a ausência de doença. A Saúde, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a mera ausência de doença.

É prática comum fazer um check-up anual, onde se fazem análises laboratoriais (que geralmente incluem a glicémia em jejum, hemograma, ureia, colesterol total, HDL E LDL, triglicéridos, valores relativos à tiróide, urina, pesquisa de sangue nas fezes, entre outras), ecografias (abdominal superior e inferior, ginecológica) e eletrocardiograma de controlo. No entanto, considerando o postulado da OMS, será que esta avaliação bioquímica verifica efetivamente a presença de saúde? Ou será que atesta “apenas” a ausência de doença? Na minha perspetiva a resposta positiva é à segunda questão: atesta a ausência de doença.

Como vimos, a Saúde inclui um estado de bem-estar. Na visão que preconizamos na Soul Bliss, esse bem-estar está dependente de quatro áreas: físico, mental, emocional e espiritual. A equação abaixo poderá resumir o conceito de saúde:

Bem-estar

Físico + Mental + Emocional + Espiritual / Energético = Saúde

Os exames complementares de diagnóstico podem responder apenas à primeira parte da equação, a parte física.

Para conseguirmos uma resposta integrada acerca do estado de saúde, é necessária uma avaliação integrativa e holística, com base em outras especialidades da área das terapias convencionais e não convencionais, vejamos como adiante.

 

 

Um novo paradigma: Prevenção

Todos nós já estivemos doentes, portanto todos nós já tivemos algo para tratar certamente. Mas deixe-me perguntar-lhe: quantas vezes fez consultas ou tratamentos no sentido verdadeiro de prevenir o aparecimento de lesões ou doenças? Poderá responder que faz o check-up anual, compreendo. Mas questiono: será que o check-up anual é mesmo uma forma de prevenção, ou será uma forma de encontrar a doença antes que ela se agrave? Deixe-me dar-lhe alguns exemplos daquilo que para nós se poderia considerar atuar em prevenção.

Uma das melhores formas de prevenir o desenvolvimento de tensões e contraturas é a realização de uma massagem, uma sessão de fisioterapia ou osteopatia para que o terapeuta possa ajudá-lo a diminuir o desconforto antes mesmo de qualquer dor, lesão, contratura ou tendinite o chatear no seu dia-a-dia. Pode recorrer a estes profissionais para avaliar e tratar a parte física, sendo que na presença de queixas o fisioterapeuta e/ou o osteopata irão procurar a origem das suas queixas com base na anamnese (história clínica), em testes físicos variados, específicos e diferenciais.

Por exemplo, um teste que se aplica facilmente em consultório é o de elevação da perna reta (straight leg raise test), que pretende avaliar a existência de dor irradiada com origem em problemas lombares (protusão ou hérnia discal) e/ou de encurtamentos musculares da parte posterior dos membros inferiores (isquiotibiais e gémeos). Pode pedir-se também que, da posição de pé, se dobre para a frente até tocar com as mãos nos pés (ou tentar), para analisar a existência ou não de escoliose a olho nú (teste de Adams). Muitos outros testes podem ser efetuados em contexto de gabinete, dependentes das queixas da pessoa avaliada.

Como vimos antes, uma massagem pode promover a sensação de bem-estar, leveza contribuindo para a manutenção da saúde física e emocional, pois durante a massagem, pelo toque, são também libertadas hormonas que promovem esse estado. Tem muitas à sua escolha: relaxamento, desportiva, terapêutica, ayurvédica, tailandesa, etc.

Para analisar e cuidar da parte mental e emocional, a psicologia é uma excelente forma de perceber se existe alguma questão que precise ser adereçada: traumas, medos, fobias, stress e ansiedade, adições, etc. Pode ver também no nosso blog um artigo sobre Inteligência Emocional e o Adoecimento. A psicologia e a psicoterapia podem, e devem, a meu ver, ser um recurso como forma de promoção da saúde e bem-estar mental e emocional.

Ninguém é de ferro, todos precisamos de todos. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza, antes pelo contrário! É preciso muita força para reconhecer que se precisa de ajuda, para a pedir e para agir no sentido da mudança. Por isso, se o está a fazer, desde já os meus parabéns!

Dentro da Psicoterapia existe a Psicoterapia Corporal que se reveste de particular interesse pois faz uma relação muito direta entre corpo e mente, físico e emocional, avaliando e tratando a pessoa como um todo. Inclusive, os psicoterapeutas corporais atuam também através de massagem corporal, direcionada a tratar determinadas tensões e pontos específicos de acordo com a sua avaliação, e ainda com outras técnicas que envolvem movimentar o corpo. Mais sobre isto num próximo post.

Além destes aspetos, a Nutrição é fundamental para manter o aporte de vitaminas, minerais, proteínas, hidratos e gorduras saudáveis que o nosso veículo físico tanto necessita. A Nutrição Funcional, a Naturopatia e a Medicina Quântica podem proporcionar uma análise do estado geral de todas as componentes do organismo, fazendo por último uma recomendação de alimentação e suplementação para a promoção da saúde ou, em caso de necessidade, para a condição clínica em causa.

Falta adereçar o último ponto da equação do bem-estar: o bem-estar espiritual ou energético. A ciência está aos poucos a comprovar aquilo que os espiritualistas dizem há muitos anos: tudo é energia, incluindo nós, Seres Humanos. Por esse motivo, tudo que acontece tem relação com o campo energético.

 

“Tudo é energia e isso é tudo que há. Sintonize a frequência que você deseja e,

inevitavelmente, essa é a realidade que você terá.

Não tem como ser diferente.

Isso não é filosofia. É física.”


– Albert Einstein –

 

Diversos autores dentro da área energética, como Cyndi Dale ou Richard Gerber (autor do livro Medicina Vibracional), citando apenas 2, apresentam-nos o Ser Humano como um Ser Multidimensional, constituído por 7 corpos, sendo apenas um deles o físico, aquele que vemos e sentimos. Richard Gerber diz mesmo que as alterações no corpo etérico (o segundo corpo, mais próximo do corpo físico) precedem a manifestação das doenças no corpo físico. Alguns autores apontam que esta “desorganização” energética precede em meses o aparecimento dos problemas no plano físico, o corpo. Simplesmente a maioria de nós não fomos habituados a prestar atenção e percecionar a nossa energia, o nosso corpo.

Como acontece ao certo esta ligação então? No oriente, através da milenar sabedoria da Medicina Tradicional Chinesa, esta resposta é conhecida há anos: através dos meridianos. A energia (Chi) penetra no corpo através dos pontos de acupuntura e flui até aos órgãos mais profundos, levando-lhes energia vital, esse “alimento” subtil. Pode trabalhar-se estes aspetos através da acupuntura mas também através de disciplinas como o Tai Chi ou o Chi Kung, ou mesmo através da Acupuntura com um profissional de Medicina Tradicional Chinesa, permitindo equilibrar o sistema energético.

Outra técnica que promove o bem-estar, não só espiritual/energético, mas também físico, mental e emocional é a Meditação. Meditar, de forma simples pode ser encarado como focar deliberadamente a atenção em algo. Pode ser a respiração, um som, uma planta, as ondas do mar, ou até uma parede branca. Meditar não é deixar de pensar, como muitas vezes se ouve. Emily Fletcher, autora de “Stresse menos, Alcance mais” refere no seu livro algo muito caricato mas muito verdadeiro: pedir à mente que deixe de pensar é como dizer ao coração que deixe de bater. Não dá, não é possível, não foi para isso que foram criados. O que podemos é aprender a focar a nossa atenção.

A meditação é uma disciplina mental e espiritual que está aberta a qualquer pessoa com disponibilidade e abertura para tentar colocá-la em prática. Meditar, segundo algumas fontes ligadas à espiritualidade, é uma forma de nos colocarmos em contacto com o nosso Eu mais elevado, também chamado de Eu Superior, ou ainda a Consciência Divina que nos habita. Se procura esta conexão espiritual, eão meditar pode ser a solução que procura. Mas desenvolver este tema seria temática para outro artigo.

De forma simples, para meditar pode:

  • Usar símbolos que façam sentido para si: símbolos de geometria sagrada, uma bíblia, um terço, uma japamala, uma imagem, etc.
  • Através do som: taças tibetanas, gongos, entoar cânticos ou mantras.
  • Meditação guiada.
  • Estilo livre, simplesmente fechando os olhos e focando a atenção na respiração.


Partilhe este artigo com quem possa beneficiar desta informação. Se precisar deixe-nos uma mensagem, estamos cá para ajudar neste momento desafiante da sua vida. Para mais informações contacte-nos.

A normalização da doença

O Ser Humano é maravilhoso na sua complexidade.

É incrível como o nosso corpo funciona tão harmoniosamente em todos os sistemas (gastrointestinal, cerebral, urinário, cardíaco, respiratório), quando somos mais jovens e temos uma saúde de ferro. Á medida que vamos envelhecendo, parece que se torna normal que apareça excesso de peso, hipertensão, diabetes, artroses. Parece normal, mas não é. Pode ser comum, mas não é normal.

O Ser Humano responde às leis do tempo, neste mundo dual em que vivemos, dessa forma o sentido da vida é o envelhecimento, pelo aumento da idade. Assim, é comum haver alguma degeneração dos órgãos e estruturas, mas não é normal a doença. Ela apenas foi normalizada.

Não vou aqui enumerar culpados, porque acredito na responsabilização individual, acredito no poder do livre-arbítrio, no Ser Humano como último decisor acerca da sua saúde, e não numa tomada de decisão externa, exclusiva do profissional de saúde.

A indústria farmacêutica pode criar os medicamentos fantásticos para a hipertensão, que posteriormente o médico, na sua boa-fé, irá recomendar. Mas você também pode procurar ajuda de um nutricionista para saber de que forma a sua alimentação está a propiciar o aparecimento da doença.

O médico pode aconselhar-lhe uns comprimidos anti-inflamatórios para as dores nas costas (lombalgia) que teimam em não desaparecer há 3 meses, mas você também pode marcar uma consulta de fisioterapia e perceber que outras estratégias poderão existir para tratar a dor crónica que sente.

Quem diz em relação à lombalgia e à hipertensão diz em relação a imensas outras doenças que têm na sua base o mesmo: inflamação crónica.

Inflamação e doença crónica

A inflamação é uma resposta adaptativa do sistema imunitário para restaurar a funcionalidade após um desequilíbrio do organismo (equilíbrio esse designado tipicamente por homeostase); no entanto, a inflamação quando é excessiva ou se torna crónica, pode tornar-se patológica. Sabe-se hoje que a inflamação crónica é uma das principais causas para o desenvolvimento de doenças crónicas e auto-imunes: doença cardiovascular (como hipertensão arterial), diabetes tipo II, artrite reumatóide, lúpus, fibromialgia, entre outras.

Muitas coisas podem influenciar e propiciar essa cronicidade:

  • stress,
  • hábitos alimentares (baixa ingestão de frutas e vegetais, excesso de açucares e processados na alimentação, glúten, entre outros),
  • hidratação (água é a melhor fonte de hidratação, não sumos ou chás)
  • toxinas (ambientais ou ingeridas através da alimentação),
  • disbiose (desequilíbrio nas bactérias boas e menos boas do intestino),
  • qualidade de sono (dormir mal, dormir poucas horas ou ter problemas de sono – exemplo: apneia de sono),

Partilhe este artigo com quem possa beneficiar desta informação. Se precisar deixe-nos uma mensagem, estamos cá para ajudar neste momento desafiante da sua vida. Para mais informações contacte-nos e agende uma sessão de fisioterapia integrativa ou nutrição funcional.